Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Brasão

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso


Terça-feira, 28 de maio de 2019 16h38


IGUALDADE SALARIAL

Max Russi encaminha propostas apresentadas em audiência sobre igualdade de gêneros no trabalho

"Trabalho Igual, Salário Igual” foi um evento proposto pelo primeiro-secretário a ALMT e contou com a participação efetiva da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais

JOSÉ MARQUES / Gabinete do deputado Max Russi



Propostas já estão sendo encaminhadas e darão sequência ao plano de ação.

Foto: JOSÉ MARQUES

A igualdade  entre mulheres e homens, no mercado de trabalho, foi debatida na audiência pública "Trabalho Igual, Salário Igual”, realizada nessa segunda-feira (27), no auditório Deputado Milton Figueiredo da Assembleia Legislativa. O evento foi proposto pelo primeiro-secretário, deputado Max Russi (PSB), a partir de uma solicitação da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais - BPW (Business Profissional Women), Cuiabá.

Realizadas as palestras e debates, junto ao corpo técnico, seis propostas foram encaminhadas, sendo elas: criação de um fórum permanente para discutir igualdade salarial; discussão nas escolas com o projeto Trabalho, Justiça e Cidadania dos Jovens, com o apoio da Assembleia e BPW; projeto de lei para isenção ou incentivo fiscal para empresas que cumpram metas de empregabilidade de mulheres; estudo de ações para tornar a fiscalização contra a desigualdade salarial entre os gêneros mais efetiva e Outubro Rosa do Feminicídio; capacitação de estudantes das faculdades de propaganda e marketing e construção de um fórum permanente para discutir ações efetivas de combate a desigualdade de gênero. Também foi proposto um estudo para o aumento no número de creches. 

Ao final da audiência, o deputado Max Russi entregou moções de aplausos a todos os envolvidos, em reconhecimento as políticas públicas sociais desempenhadas em conjunto.

"Um ato singelo, mas que leva incentivo a todo o trabalho social feito por essas pessoas. Hoje pudemos debater aqui as diretrizes para uma caminhada mais efetiva e resolutiva, quanto a desigualdade salarial de gênero em nosso estado", analisou o parlamentar.

Estiveram presentes a presidente da BPW Cuiabá Zilda Aparecida; a diretora jurídica da BPW-Cuiabá e organizadora, Claudia Aquino; o juiz federal do Trabalho da 23ª Região João Alberto Cezário; juíza federal do Trabalho da 23ª Região, Graziele Cabral Braga de Lima; o procurador regional do Ministério Público do Trabalho, Douglas Nunes Vasconcelos; o superintendente regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, Eduardo de Souza Maria; o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC), e a procuradora do Estado e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Glaucia Anne Kelly.

"Trabalho Igual, Salário Igual”  teve o intuito de estabelecer  a pauta da igualdade salarial entre os gêneros e também contou com a participação da Associação dos Revendedores da Venda Direta de Mato Grosso (Arvend), VG Mais Ação, magistrados, representantes do Judiciário e da BPW-Cuiabá, além da presidente interina da Casa de Leis Janaína Riva (MDB) e do deputado federal Doutor Leonardo Albuquerque (SDD).

Fundada em 2001 pela jornalista e empresária Sueli Batista, a BPW Cuiabá tem trabalhado na missão de agregar mulheres de negócios e profissionais, orientando e coordenando seu desenvolvimento pleno nas esferas dos poderes públicos e de mercado. Em um olhar lançado sobre 12 anos de história, através de projetos e ações, tem estimulado cenários propícios a mulheres no ramo do empreendimento.

Estatísticas - O deputado Max Russi ressaltou a importância da realização da audiência pública "Trabalho Igual, Salário Igual”  e pontuou atuais estatísticas. Uma delas foi em relação à queda na desigualdade de salários entre 2012 e 2018, onde pesquisa aponta que mulheres ainda ganham 20,5% a menos que os homens, isso conforme o dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Russi lembrou ainda que, de acordo com o Ministério do Trabalho,  no Brasil houve crescimento da ocupação feminina em postos formais de trabalho, de 40,8% em 2007 para 44% em 2016, ou seja, um número não expressivo.

“É tempo de reafirmarmos essa luta contra a desigualdade salarial e, para isso, é necessária essa união. Vamos fazer esses encaminhamentos e buscar aplicar essas diretrizes" assegurou.

 

 


Gabinete do deputado Max Russi

Telefone: (65) 3313-6330


Associadas


Galeria de Imagens