Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Brasão

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso


Rádio Assembleia

A Rádio Assembleia Legislativa de Mato Grosso integra um projeto pioneiro no Brasil. Trata-se da primeira operação da Rede Legislativa de Rádio, uma parceria da Câmara Federal em Brasília com Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Em março de 2015, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha e o presidente da Assembleia, deputado Guilherme Maluf, assinaram um termo de cooperação técnica entre a câmara dos Deputados e o Poder Legislativo de Mato Grosso para implantação da Rádio Assembleia. Pe lo acordo, os equipamentos de transmissão foram licitados e doados pela Câmara dos Deputados em um investimento de mais de R$ 1 milhão. Para a transmissão do sinal da Rádio Assembléia foram cedidos um transmissor de 10.000 Watts, antena, receptor, modulado res, entre outros. Em contrapartida, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso forneceu a torre de transmissão, estúdios, profissionais da área técnica e jornalistas e equipamentos para inserção de programação local. A Rádio Assembleia pode ser ouvida na baixada cuiabana pela frequência 89,5 FM e pela internet no endereço: http://radio.al.mt.gov.br


Programas

Acorda Mato Grosso

Veja Mais

Balaio Brasil

Veja Mais

Cozinha da MPB

Veja Mais

Drops de Cerrado

Veja Mais

Especial Cuiabá 300 Anos

Veja Mais

Ficha Técnica

Veja Mais

Fusão[ponto]com

Veja Mais

Quintal do Samba

Veja Mais

Sala de Rock

Veja Mais

Sons de Mato Grosso

Veja Mais

Vanguarda

Veja Mais

Ao Vivo


Rádio Assembleia

Programação


Destaques

19/09/2019 22h31 Áudio

Ficha Técnica: Somos som - Karola Nunes

SOMOS SOM E SONHO - No livro “Alucinações musicais”, o neurologista Oliver Sacks narra alguns casos sobre relações que o homem estabelece com a música. Além das lembranças e recordações que uma determinada sonoridade pode provocar, a música é capaz de causar alterações de percepção e no campo neurológico. A música caminha lado a lado com as nossas afetividades e tem o poder de despertá-las. Isso serve para os bons e os maus sentimentos, para as boas e más recordações. Há sons que provocam verdadeira situação de tortura, enquanto outros despertam e potencializam o prazer. Independente das percepções que são provocados em nós, a música é elemento obrigatório, nos acompanha o tempo todo, feito artigo de primeiro necessidade. Com a música desenvolvemos uma relação de troca, da qual tiramos diversos benefícios. Isso acontece porque somos som, porque também somos constituídos de sonoridades. Se para quem ouve e desfruta a música já é encantadora, imagina para quem vive dela, trabalha com ela, faz dela um ofício diário. A sensação de extrair sonoridades de um instrumento, de reunir os acordes para compor a canção, de soltar a voz e combiná-la com outras vozes... todas essas ações são capazes de potencializar ainda mais o prazer de quem gosta e não vive sem música. É o caso de Karola Nunes. No disco “Somos som”, lançado este ano, ela exalta a música (indissociável a ela) e brinca com as sonoridades que seu trabalho permite desenvolver. Karola é som, vive de som e faz da música um instrumento para dar voz àquilo em que acredita. O artista sonha e usa de seus talentos para dar vida e cor a sua arte. Ao fazer isso, sensibiliza muitas pessoas, motiva outros artistas e faz essa roda de sonhos girar. Karola Nunes é som, é sonho, é inspiração!


13/09/2019 10h59 Áudio

Ficha Técnica: Rap é compromisso - Sabotage

NÃO VÃO SABOTAR NOSSOS SONHOS - Se você não conhece a história e a obra do rapper Sabotage, eu sugiro que tire um tempo para fazer isso. Existem textos, documentários, reportagens e muitos outros materiais que estão disponíveis a partir de uma simples pesquisa no Google. Mas eu sugiro um pouco mais: tire um tempo para ouvir Sabotage. O que você ganha com isso? Um novo olhar, uma nova perspectiva. Nas rimas que escreveu, o rapper sempre apresentou a realidade sem rodeios, sem meias palavras. Ele encontrou ressonância nas vidas de tantas pessoas que, inseridas na mesma realidade que ele, não encontravam alguém que levasse a voz da favela para o mundo, para além da favela. Apesar de ter vivido apenas 29 anos, Sabotage fez muito pelo rap nacional. E não poderia ser diferente, afinal, o rap era o compromisso dele. O que mais impressiona na história de Sabotage é, justamente, ele não ter deixado que a realidade na qual estava inserido acabasse com os sonhos que trazia consigo. Sabotage nunca escondeu as experiências que teve no mundo do crime e não cabe a nenhum de nós fazer qualquer tipo de julgamento. Mas cabe destacar que, mesmo diante de condições pouco favoráveis, ele não se calou e fez de si próprio um instrumento para dar voz a muitas pessoas. Por meio do rap, ele conseguiu transformar sua realidade, deixando um legado de “responsa”, que permanece sendo estudado e apreciado. É uma pena que ele tenha partido tão jovem. Quem olha para a atual situação política do Brasil com um mínimo de clareza e lucidez, sabe muito bem o quanto rappers como Sabotage são necessários em momentos como o que estamos vivendo. Mesmo diante de fatores como a fome, a pobreza, o crime, a violência, Sabotage não esqueceu o compromisso com o rap e, consequentemente, o compromisso com ele mesmo. Revisitar a história de vida desse grande rapper brasileiro é repensar os nossos próprios sonhos, as coisas que gostaríamos de fazer, mas deixamos de lado. As desculpas sempre existirão. Os afazeres e a rotina sempre caminharão ao nosso lado. Mas até quando nós vamos sabotar os nossos próprios sonhos?


Veja mais